Pitiríase capilar - descamação e comichão

19 novembro 2019 | Doenças capilares|
Pitiríase capilar - descamação e comichão

Couro cabeludo a descamar? Comichão intensa? Perda de cabelo? É provável que sofra de pitiríase capilar. O nome não é fácil de decorar, mas o tratamento, sim! Shampoos antifúngicos podem dar conta do problema em casos de pitiríase simples. Noutros tipos, o alívio dos sintomas é mais difícil, mas nada como continuar a ler este artigo para ficar a saber tudo sobre esta micose na cabeça, uma das principais doenças do couro cabeludo.

 

Pitiríase o que é?

Pitiríase capilar ou tinea capilar é uma micose no couro cabeludo ou infeção causada por fungos que provoca comichão e descamação. Tudo porque a pitiríase capilar desperta e ativa um fungo que existe normalmente no couro cabeludo, através de fatores como stress, sudorese excessiva e alteração do pH, entre outros. 

Cada tipo de pitiríase no couro cabeludo tem causas, sintomas e tratamentos diferentes, mas regra geral a pitiríase capilar é uma das doenças do couro cabeludo que não traz grandes complicações de saúde, embora possa causar a perda de cabelo temporária, e por esse motivo deva ser identificada e tratada atempadamente.

 

Leia também o nosso artigo sobre tratamentos capilares para a queda do cabelo.

 

O que causa pitiríase capilar?

A renovação anormal da pele da cabeça é a causa da pitiríase capilar ou tinea capilar. 

A verdade é que a pitiríase no couro cabeludo está normalmente presente na pele e permanece inativa. Só nalgumas pessoas se manifesta após perturbações no couro cabeludo, como pH ácido, escovação em demasia, suor excessivo, abuso de cosméticos, uso excessivo de capacetes (bonés, gorros ou chapéus), stress, desordens hormonais, doenças infeciosas ou distúrbios digestivos. 

De salientar aqui que a renovação da pele e dos cabelos acontece todos os meses e faz parte do processo fisiológico normal para eliminar células mortas e substituí-las por células novas (e assim sucessivamente). Mas em pessoas com pitiríase capilar, o que acontece é que a renovação, ou seja, a expulsão das células mortas é visível pela junção na superfície da pele, de pequenas lâminas (fungos) que formam uma película muito idêntica à caspa, que fica “presa” no cabelo. Estes fungos libertam uma substância ácida que provoca comichão e irritação no couro cabeludo, intensifica a caspa e prejudica o normal processo de renovação das células. Além disso, numa pele mais seca, pode provocar comichão e irritação mais intensa. 

 

Quais os sintomas da pitiríase capilar?

O principal sintoma da pitiríase capilar ou micose no couro cabeludo, é a caspa (pitiríase simples ou seca) que resulta na formação de pequenas escamas que ficam presentes, de forma visível, no cabelo. Mas a pitiríase capilar também é caracterizada por comichão e descamação no couro cabeludo e nalguns casos mais complexos, por uma irritação que deixa a pele vermelha e até inflamada. Nestes quadros de irritação, também é comum a comichão extrema e a perda de cabelo, outros dois  sintomas da pitiríase capilar. Em todo o caso, a pitiríase capilar é uma micose capilar que não causa erupção na pele ou alopecia. E mesmo a queda de cabelo, não é definitiva nem em infeções mais graves.

 

Por falar em alopecia… Clique aqui, perceba o que é, conheça os seus principais tipos e saiba como combatê-los!

 

Tipos de pitiríase capilar

Existem vários tipos de pitiríase que podem surgir no corpo, incluindo no couro cabeludo. No caso das doenças capilares vamos referir as três principais formas ligadas a este fungo: pitiríase versicolor, pitiríase rosada e pitiríase rubra pilar.

 

Pitiríase versicolor

Pitiríase versicolor é uma infeção dermatológica superficial (micose no couro cabeludo) provocada por um fungo (malassezia furfur) que existe normalmente na pele, nas áreas mais gordurosas do corpo, como tronco, braços, rosto, pescoço e couro cabeludo. Porém, o fungo só em determinadas pessoas e certas circunstâncias é despertado, sendo que os principais fatores de risco do aparecimento da pitiríase versicolor são: calor, humidade, suor em excesso, oleosidade da pele, fraca resistência imunológica, desnutrição, uso de corticoides e/ou de imunossupressores. Quando despertado, o fungo causa alterações na pigmentação da primeira camada superficial da pele, deixando-a, literalmente, de várias cores, embora predominem os casos de pitiríase versicolor com manchas amarelas e acastanhadas.

Esta é uma das doenças do couro cabeludo sem condição grave, não é contagiosa e tem tratamento, sem deixar cicatriz! É mais comum na adolescência e na juventude, quando a atividade das glândulas sebáceas é maior, mas pode atingir outras faixas etárias.

 

Pitiríase rosada

Pitiríase rosada é uma infeção dermatológica, muito possivelmente da responsabilidade de um vírus da família do herpes-vírus humano, que causa a erupção da pele e se caracteriza por manchas rosadas ou avermelhadas. Além das manchas, a pitiríase rosada causa uma comichão intensa. 

Embora as suas causas sejam desconhecidas, acredita-se que a pitiríase rosada seja potenciada por infeções virais, devido às suas características sazonais (a maior parte dos casos ocorre entre o outono e a primavera) e devido à baixa incidência destas doenças capilares em grupos fechados.

A pitiríase rosada não é uma condição preocupante, não é contagiosa nem costuma reaparecer. Desaparece espontaneamente entre 6 a 12 semanas, mas nalguns casos pode permanecer durante meses, pelo que é necessário consultar um dermatologista.

 

Pitiríase rubra pilar

Pitiríase rubra pilar é uma doença de pele crónica e rara que causa espessamento e amarelecimento da pele e se manifesta através da presença de placas avermelhadas (e até caroços avermelhados) e descamação em qualquer parte do corpo, incluindo couro cabeludo.

A pitiríase rubra pilar, além da descamação, causa inflamação em diferentes zonas do corpo, de diferentes formas e também durante períodos diferentes. O que tem sempre em comum é a comichão.

Não se conhecem as causas desta estirpe de pitiríase, contudo estão definidos dois tipos comuns ou mais clássicos de doenças do couro cabeludo designadas de pitiríase rubra pilar: juvenil, por herança genética e com início na infância, e adulta, com início na idade adulta, mas possivelmente sem ser herdada. Ainda assim, existem outras formas de pitiríase rubra pilar muito possivelmente desencadeadas pela luz solar, vírus HIV e outras infeções, traumatismos ou doenças autoimunes. 

Existem tratamentos que aliviam os sintomas da pitiríase rubra pilar e de outras doenças capilares relacionadas com micose na cabeça.

 

Qual o tratamento para a pitiríase capilar?

O tratamento para a pitiríase capilar, que deve ser prescrito por um médico dermatologista, é feito através de antifúngicos orais, shampoos e outros produtos de cosmética com substâncias capazes de eliminar os fungos do couro cabeludo, cessar a descamação e comichão e… acabar com a micose capilar!

 

Se está a sofrer com a queda de cabelo devido a pitiríase capilar, calvície, alopecia ou qualquer outro problema, consulte a Master Group.

Partilhe o artigo:

artigos relacionados